sábado, 26 de março de 2011

Inesperada Saudade

Por inúmeras vezes me tinha sido dito que sentiria saudades. Saudades, essa palavra tão nossa, tão portuguesa. Essa palavra usada tão vulgarmente e tão especial. Sim, disseram-me que iria sentir saudades. Não acreditei. Na altura pensei em como seria possível sentir falta de algo que, em determinados momentos, não gostava tanto. Mas hoje, hoje apercebo-me do que falavam. Hoje consigo perceber a origem dessas saudades. Quando baixei a guarda e me entreguei, consegui ver o real sentido daquilo. Consegui perceber o que estava para além do visível. Percebi que era união, força, amizade, (amor até. Sim, porque o amor revela-se de inúmeras formas), enfim, família. Tenho a sorte de possuir mais do que uma família e esta, mais recente, tão especial, vai deixar saudades. Porque naquele último gesto, naquele último momento, me apercebi do que falavam. Era muito mais do que recordações. Foram momentos. Foram gestos. Foi o significado. Foi a união. Foi a mudança. E as saudades? Sim, irei sentir. Tenho a certeza. Uma certa nostalgia já se apodera por me aperceber que em breve irá acabar. Mas tudo acaba. Tudo tem um fim. E tenho que reconhecer que estava errada. Porque sim, vou sentir saudades.

Sem comentários: